Vereador recebe resposta sobre horário de formação de monitores de creches

Publicado em: 09 de maio de 2019

O vereador Paulo Monaro (SD) recebeu, na última semana, resposta da Administração Municipal ao Requerimento 247/2019, por meio do qual o parlamentar pedia informações a respeito do horário de formação do PAPI (Programa de Apoio à Primeira Infância) nas creches municipais. O parlamentar apresentou o questionamento, depois de ter sido procurado por pais de alunos, os quais reclamavam que, com a alteração do horário do PAPI para as 16h30, as crianças estavam sendo liberadas às 16horas todas as segundas-feiras.

 

Na resposta ao parlamentar, assinada pelo secretário municipal de Governo, Rodrigo Maiello, a Prefeitura informa que a Secretaria Municipal de Educação apresentou uma proposta de adequação de horário nos dias do PAPI, a fim de que o horário para execução do referido programa pudesse ser realizado a partir das 16h30. Ainda segundo a resposta, para essa adequação de horário, os diretores deveriam dialogar com os pais e verificar a possibilidade desta adequação. Os dirigentes estão estudando a possibilidade para implantação deste novo horário, pois é necessário haver consenso para execução do mesmo.

 

A Prefeitura também respondeu ao questionamento do vereador a respeito da possibilidade do remanejamento dos horários dos servidores que participam do PAPI, em turnos contrários ao serviço das monitoras, sem prejudicar funcionários públicos nem as crianças, atendendo a uma antiga reivindicação desses profissionais. Nessa resposta, a Administração informa que a estrutura física da maioria das escolas municipais não possui disponibilidade de espaço para realização de reuniões nas creches quando do atendimento das crianças. Além disso, a Administração salientou que há um grupo de monitores que trabalha em outros locais no contraturno e que, durante o dia, a equipe gestora necessita estar disponível para o atendimento das crianças que regularmente precisam de intervenções externas, como exemplo as questões da saúde.

 

Insatisfeito com a resposta, o parlamentar deve se reunir novamente com pais de alunos e monitores de creches para analisar quais providências podem ser tomadas, no sentido de não prejudicar os profissionais que atuam nessas creches nem as crianças e os pais atendidos por elas.


Publicado por: Fernando Campos - Mtb 39.684

Cadastre-se e receba notícias em seu email